Saia do óbvio: Whey Protein e os 7 benefícios inimagináveis da proteína “mágica”

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Saia do óbvio: Whey Protein e os 7 benefícios inimagináveis da proteína “mágica”

17 de julho de 2017
Luana Souza (CRN 3 - 27387)
Nutricionista

whey protein

Whey Protein: conheça 7 benefícios que tornam este suplemento ainda mais incrível.

Há muitas décadas tem sido frequente o uso de suplementos proteicos entre praticantes de academia e atletas, seja para fins estéticos, como hipertrofia e emagrecimento ou para melhora do desempenho na prática esportiva.

Entre eles o mais famoso é o Whey Protein, a proteína do soro do leite.

Para os adeptos do exercício físico vigoroso não faltam evidências que demonstram a qualidade nutricional dessa proteína e sua relação com o ganho de massa magra. Mas, será que ele pode ser utilizado com outros objetivos?

São esses outros benefícios “escondidos” nesse suplemento que vamos destrinchar, mostrando, por meio desse guia prático, tudo o que você precisa saber sobre ele.

Whey protein: o que é?

whey protein o que é

É a proteína extraída do soro do leite, a qual é obtida durante a fabricação de queijos. É considerada de alto valor biológico, ou seja, de ótima qualidade por ter elevado teor de aminoácidos.

Por sua origem ser o leite de mamífero, é uma fonte alimentar programada para o crescimento do organismo, principalmente de tecidos musculares na infância.

Contudo, no adulto, permanece com função essencial pois auxilia o corpo a ter uma adequada ingestão proteica para manutenção dos tecidos ou para o anabolismo (ganho de massa muscular).

Composição do Whey Protein

composição do whey protein

Obviamente o principal nutriente presente é a proteína, com teor diferente a depender do tipo de whey protein, como veremos a seguir.

Entra as frações que constituem a proteína, os peptídeos do soro, o mais comum é a lactoglobulina (45% a 57%). Esse é o peptídeo que apresenta maior teor de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA).

Outros peptídeos encontrados são alfa-lactoalbumina, albumina, imunoglobulinas e glico-macropeptídeos. Cada uma dessas frações possui aminoácidos diferentes que, quando se somam, tornam essa proteína completa.

Entre os aminoácidos fornecidos estão a alanina, arginina, cisteína, glutamina, glicina, histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, prolina, treonina, triptofano, tirosina e outros.

Grande parte deles são aminoácidos essenciais, aqueles que o corpo não produz e precisam ser consumidos via alimentar. Estes constituem 43% da composição nutricional da proteína do soro do leite, sendo, portanto, uma ótima fonte alimentar.

Além de aminoácidos, é fonte natural de minerais como ferro, cálcio e sódio.

Todos os suplementos a base de Whey Protein são iguais?

Não, existem três tipos comerciais que diferem entre si: o concentrado, o isolado e o hidrolisado.

O concentrado é a forma mais in natura do soro do leite, sendo composto por proteínas, gorduras e carboidratos (a lactose do leite). Ele apresenta uma proporção muito variada de proteínas, com média de 80%.

Já o isolado possui um teor proteico maior e mais estável, em torno de 95%, sendo reduzido em gorduras e carboidratos. Isso se dá por um processo maior de filtragem, que concentra as proteínas.

O tempo de digestão e absorção desses dois tipos é muito semelhante, tendo seu início entre 20 a 30 minutos após o consumo.

O hidrolisado é um produto que passa por um processo onde os peptídeos são quebrados em partículas menores. Esse processo facilita a digestão e a absorção, tornando-as mais ágeis.

Por ter um teor de proteínas de mais de 90% e ser de rápida absorção, a forma hidrolisada tem maior preço no mercado.

As três apresentações são excelentes fontes de nutrientes e tem suas indicações conforme cada caso.

Whey Protein e a necessidade proteica

whey protein e a necessidade proteica

Esse suplemento é uma excelente fonte proteica, mas será que todos precisam dessa dose extra?

Essa é uma pergunta que todos os indivíduos que consomem ou pretendem consumi-lo devem se fazer, uma vez que o excesso de proteínas pode causar prejuízos ao corpo como sobrecarga renal e problemas hepáticos.

É essencial realizar uma avaliação da necessidade energética e proteica individuais antes de fazer uso de qualquer suplemento, e para isso deve-se contar com a ajuda de um nutricionista.

Não é recomendado copiar a maneira que o colega de academia o utiliza, pois ele não tem as mesmas necessidades que você, sendo imprescindível individualizar a prescrição.

A estimativa da necessidade de proteínas pelo corpo varia conforme idade, estado nutricional e nível da atividade física.

Quanto mais intenso o exercício, maior a necessidade proteica para compor a estrutura corporal.

Para praticantes de atividade física de intensidade leve a moderada, a recomendação é de 1 a 1,2 gramas de proteína/quilo de peso corporal. Já para praticantes de atividade física de alta intensidade e/ou longa duração, essa recomendação aumenta para até 1,6.

Para pessoas fisicamente ativas com o objetivo de ganhar massa muscular, a quantidade total no dia deve ser de 1,6 a 1,7 gramas/quilo, segundo a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte.

Quantidades acima de 2,5 gramas/quilo não tem utilidade pelo corpo e são descartadas.

Na prática, para uma mulher de 60 kg sedentária, a necessidade é de 70 gramas de proteína/dia. Essa recomendação pode aumentar para até 136g caso ela pratique atividade física em elevado grau de intensidade e/ou duração.

Estima-se que consumir boas fontes proteicas, como carne branca e carne vermelha no almoço e no jantar, já fornece algo em torno de 55g de proteína. Complementando com, feijão, ovos e alimentos lácteos 3 vezes/dia, estima-se chegar a algo em torno de 90g.

Indivíduos que praticam exercícios vigorosos, provavelmente essa ingestão proteica ficaria abaixo do recomendado e poderia ser necessário lançar mão da suplementação com o Whey Protein.

Há ainda indivíduos em processo de emagrecimento, na qual a restrição calórica inviabiliza a obtenção da quantidade mínima recomendada de proteínas por meio da alimentação, sendo também muito bem-vinda a suplementação como uma proteína de qualidade, como o whey.

O ideal é buscar por um nutricionista para oferecer orientações personalizadas sobre suas necessidades e indicar qual melhor tipo de suplemento, se necessário.

Benefício clássico: o anabolismo muscular

benefício clássico o anabolismo muscular

A proteína de soro de leite possui alto valor biológico e nutricional, o que chama a atenção das pessoas que buscam ganho de massa muscular, por ser capaz promover a síntese de proteína muscular.

Ela se destaca no mercado de nutrição esportiva por favorecer a hipertrofia quando aliada à atividade física.

Quando consumida de maneira adequada, principalmente após o exercício, bem como na dose adequada de proteína/dia, há melhora da funcionalidade e força do músculo.

Existem diversas vias para esse efeito, otimizando, assim o treinamento e o desempenho físico.

O perfil de aminoácidos do Whey Protein, especialmente pela leucina, é capaz de estimular a síntese de tecido.

Além disso, esse perfil é muito similar ao das proteínas do músculo esquelético, fornecendo quase todos os aminoácidos em proporção similar aos do músculo.

Evidências recentes têm explorado os benefícios desse suplemento para a saúde que se estendem além do fornecimento de aminoácidos para o músculo, devido aos efeitos dos peptídeos bioativos derivados do soro do leite.

7  benefícios inimagináveis do Whey Protein

Esse concentrado proteico pode ter benefícios pouco conhecidos. Conheça agora 7 deles:

 1. Complementa a ingestão proteica em pessoas com falta de apetite

complementa a ingestão proteica em pessoas cm falta de apetite

Muito se engana quem pensa que esse é somente um “suplemento de academia”. O objetivo dele, assim como de qualquer suplemento, é complementar os nutrientes que não estão sendo ingeridos via alimentação.

Esse pode ser o caso de muitos idosos e crianças, ou até mesmo de pessoas que estão com falta de apetite, passaram por alguma cirurgia ou estão em estado catabólico devido a doenças como câncer.

Principalmente após os 70-80 anos, é muito comum o aparecimento da disfagia, conhecida como falta de apetite. É um sintoma natural em idosos e pode levar a deficiência proteica.

Pacientes pós-cirúrgicos ou imobilizados também podem ter a ingestão proteica prejudicada ou as necessidades elevadas, além da perda ou redução da mobilidade. Esses fatores podem propiciar a uma perda de massa magra.

O Whey Protein pode ser um aliado para equilibrar a ingestão de nutrientes nesses indivíduos, por ser de fácil ingestão e digestão, além de ser composto por aminoácidos essenciais para o organismo que estimula a síntese dos tecidos.

Para crianças o princípio é o mesmo. A infância pode ser um período de difícil aceitação alimentar, o que interfere negativamente no crescimento e desenvolvimento.

Assim sendo, a proteína do soro do leite é utilizada com frequência em formulações ou suplementos infantis em virtude do seu elevado valor nutritivo.

Nesses casos, ele pode ajudar a prevenir a desnutrição ou a progressão de alguma doença caso o indivíduo não esteja consumindo sua necessidade diária de proteínas pelos alimentos.

Vale lembrar que o consumo deve ser orientado por um nutricionista, uma vez que esse profissional ajudará a mostrar os caminhos para uma melhor ingestão natural de nutrientes de acordo com seus hábitos e a fazer uma correta indicação de suplemento.

2. Whey protein promove saciedade

whey protein promove saciedade

Estudos recentes têm demonstrado um efeito na saciedade. Comparado a outros suplementos, o whey mostrou-se mais eficaz quando utilizado como componente de lanches.

É claro que esse efeito irá depender da composição dos laches oferecidos e sua combinação com outros nutrientes como os carboidratos. Contudo, a ingestão 1h30 antes de uma refeição é capaz de promover redução significativa do apetite e da ingestão energética.

 Isso se explica, pois, os níveis sanguíneos de colecistoquinina e do peptídeo similar ao glucagon (GLP-1) ficam aumentados após essas refeições. Essas substâncias são hormônios gastrointestinais moduladores do apetite. Quando estão em quantidades maiores, são capazes de ativar a via de sinalização da saciedade e bloquear a fome.

Em um estudo de 2016 conduzido por Reyna e colaboradores, mulheres obesas consumiram suplementos com o objetivo de promover saciedade e obtiveram um melhor resultado com o Whey Protein quando comparado a outros dois, caseína e maltodextrina.

Ainda são necessárias novas pesquisas para aprofundar suas propriedades, mas já se sabe que esse concentrado protéico pode ter uma boa utilização em produtos alimentares com o objetivo de aumentar a sensação de saciedade.

3. Whey Protein pode auxiliar no emagrecimento e na redução da gordura corporal

whey protein pode auxiliar no emagrecimento

Por ser capaz de promover saciedade pode auxiliar no tratamento do excesso de peso e na redução do tecido adiposo.

Seu consumo não é garantia de emagrecimento, uma vez que esse é um processo complexo que necessita de um balanço energético negativo e equilíbrio de macro e micronutrientes.

Contudo, o uso do suplemento proteico contendo os aminoácidos essenciais pode ser um braço importante para a perda de peso se utilizado de maneira adequada.

No estudo de Reyna e colaboradores, as mulheres obesas que fizeram seu uso obtiveram uma ótima perda de peso e redução da circunferência da cintura e porcentagem de gordura corporal.

A boa disponibilidade de aminoácidos, o alto teor de BCAA e os compostos bioativos desse suplemento afetam os processos metabólicos que regulam o gasto energético, favorecendo o controle e a redução do tecido lipídico.

Mais uma vez, frisamos que é importante o acompanhamento profissional para orientar como obter esses resultados.

4. Melhora do sistema imunológico

melhora do sistema imunológico

Estudos observaram outros efeitos biológicos, como aumento da resposta imune. Um dos principais nutrientes que auxiliam na imunidade são as imunoglobulinas presente no soro do leite, tornando-o ótimo agente microbiano.

Outra razão para esse efeito é a maior produção de glutationa pelo organismo em resposta ao consumo do suplemento.

Essa proteína funciona como antioxidante, combatendo os radicais livres. Portanto, todo o corpo é afetado, em especial o sistema imunológico, mas também o nervoso e o gastrointestinal.

Com o passar dos anos ou em caso de doenças agudas, os níveis de glutationa podem estar reduzidos. Consumir proteínas de boa qualidade pode aumentar sua produção.

Nos casos de indivíduos que não tenham uma adequada ingestão alimentar, o Whey Protein pode ser uma ótima saída quando aliada ao consumo de boas fontes de outros antioxidantes, como as frutas e hortaliças.

5. Aumento da densidade mineral óssea

aumento da densidade mineira óssea

As proteínas vindas da dieta têm uma relação direta com a saúde óssea, uma vez que alimentos proteicos, como o leite, são ótimos fornecedores de cálcio e de aminoácidos essenciais.

O cálcio é um dos nutrientes essenciais para a formação e manutenção ótima e tem boa biodisponibilidade nos alimentos lácteos.

Para pessoas que não consomem leite ou derivados conforme a recomendação diária, 2 a 3 porções/dia, a proteína do soro do leite pode ser um coadjuvante no fornecimento de nutrientes.

Esse pode ser o caso de indivíduos com intolerância à lactose, idosos ou daqueles que não gostam de produtos lácteos.

Um de seus peptídeos, a alfa-lactoalbumina, possui a capacidade de se ligar ao cálcio, afetando positivamente sua absorção. Também parece estar envolvido com hormônios que promovem a formação de massa muscular.

Além do mais, com o envelhecimento aparecerem mudanças na composição corporal, como a diminuição da massa magra e da densidade mineral óssea, que acarretam maiores riscos de queda e fraturas.

Portanto, a ingestão adequada de proteínas tem impacto positivo na densidade mineral óssea na população idosa.

Até mesmo para pessoas que estão buscando o emagrecimento e, portanto, reduzindo a ingestão calórica e proteica, o uso desse suplemento pode trazer benefícios para a estrutura óssea.

Estudos demonstram que o consumo elevado de proteína na dieta durante a redução de peso atenua a perda óssea em mulheres pós-menopausa. O whey pode ser uma boa fonte proteica e de fácil consumo.

6. Whey Protein ajuda na cicatrização

Quando o tecido cutâneo sofre algum dano como um ferimento acidental ou cirurgia, o corpo lança mão de nutrientes para a rápida e eficaz cicatrização do tecido.

A glutamina, um aminoácido encontrado no Whey Protein, é o combustível preferido das células de proliferação rápida, como fibroblastos, células epiteliais, linfócitos e macrófagos, essenciais para cicatrização.

Outro aminoácido encontrado no suplemento é a arginina. Ela auxilia na síntese de colágeno e cicatrização, sendo recrutada em situações onde há necessidade de reparo da pele.

Outros aminoácidos, como a metionina, prolina e lisina também podem influenciar nesse processo por estimular a proliferação de fibroblastos e síntese de colágeno.

Portanto o bom consumo de proteínas de alto valor biológico tem efeito positivo na cicatrização eficaz.

7. Recuperação muscular e aumento da longevidade

recuperação muscular e aumento da longevidade

Não é só com o ganho de massa magra que o praticante de atividade física precisa se preocupar, mas também com a recuperação e regeneração dos músculos pós exercício e a longo prazo.

O exercício físico, como um agressor positivo do músculo, faz com que ele tenha necessidade de se refazer constantemente para hipertrofiar.

É um processo semelhante ao requerido na cicatrização, onde são recrutados diversos aminoácidos essenciais.

Portanto, além do fornecimento de aminoácidos para o crescimento das fibras musculares, as proteínas do soro de leite podem ser capazes de fornecer substrato e componentes bioativos para ampliar os benefícios globais da atividade física.

Proteínas de boa qualidade são capazes de fazer a proteção celular quando o organismo é submetido ao estresse, bem como tem atividade antitumoral quando associado à alimentação saudável.

Portanto, esse suplemento é capaz de fazer o corpo ter um melhor funcionamento e aumentar a longevidade por fornecer nutrientes antioxidantes que combatem o envelhecimento celular.

Conclusão

O Whey Protein é um suplemento proteico considerado de alto valor biológico por fornecer aminoácidos essenciais para reconstrução muscular.

Mas suas indicações vão muito além de fornecer nutrientes para a hipertrofia no praticante de atividade física.

Por seu perfil de aminoácidos e compostos bioativos, esse suplemento é capaz de auxiliar em muitos processos do corpo, como a imunidade, cicatrização e aumento da densidade óssea.

Quando consumido de maneira adequada, pode ajudar a reduzir a sensação de fome, além de melhorar a composição corporal, aumentando a proporção de massa magra e reduzindo a gordura corporal.

Portanto, esse concentrado proteico vale ouro, procure um nutricionista para saber se pode ser recomendado para você.

O que achou do artigo? Compartilhe sua experiência conosco e com outras leitoras nos comentários!

Não se esqueça também de deixar o seu e-mail no campo abaixo para ter o privilégio de ser a primeira a receber artigos como este. Seu e-mail estará 100% seguro, não fazemos Spam!


DEIXE SEU COMENTÁRIO

  • Frederico Martins

    Ótimo artigo, faço uso de whey para ganho de massa muscular,.

Artigos Relacionados