Multivitamínico: o que é, para que serve e como saber se você precisa

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Multivitamínico: o que é, para que serve e como saber se você precisa

21 de agosto de 2017
Ana Carolina Rocha (CRN3 - 48025)
Nutricionista

multivitamínico

Multivitamínico, polivitamínico, complexos vitamínicos: todos são sinônimos e correspondem àqueles suplementos compostos de vitaminas e minerais.

Com a correria do dia a dia, muitas vezes não conseguimos ingerir todos os nutrientes necessários para nosso metabolismo funcionar em seu melhor, e isso traz consequências a médio e longo prazo, como baixa na imunidade.

Os multivitamínicos têm sido promovidos como uma solução para esse problema, e, neste artigo iremos explicar quais os benefícios e contraindicações desse suplemento alimentar. Mas, afinal, o que é multivitamínico?

O que é multivitamínico?

o que são multivitamínicos

Multivitamínico é um composto de vitaminas e minerais considerados nutrientes “essenciais”, ou seja, que nosso corpo não é capaz de produzir. Sendo assim, eles precisam ser obtidos através da alimentação ou suplementação.

O termo “multivitamínico” ficou conhecido devido a sua utilização na indústria da Suplementação Alimentar que precisava nomear o composto alimentar, que é geralmente encontrado nos formatos de cápsulas e tabletes.

Suplementos multivitamínicos possuem nutrientes vitais para nossa saúde, pois servem de base para funções cerebrais, contração muscular, balanço de fluidos e produção de energia. Existem diversas combinações de nutrientes disponíveis para compra, portanto os suplementos não são todos iguais.

Como nosso corpo lida com as vitaminas e minerais que ingerimos

Quando nos alimentamos, absorvemos os nutrientes da nossa alimentação para as mais diversas funções no corpo: sustentação, energia e manutenção da saúde.

As vitaminas e minerais entram principalmente na categoria de manutenção da saúde, pois são responsáveis por pequenas reações do nosso corpo, mas que tem grandes efeitos para a saúde geral – como a produção de hormônios, por exemplo.

Por mais que não tenhamos todos os dias os mesmos nutrientes em nossas refeições, nosso corpo tem a capacidade de armazenar vitaminas e minerais. Essa reserva é que equilibra nossas necessidades quando não nos alimentamos de forma adequada.

Entretanto, quando não fazemos escolhas nutricionalmente adequadas por longos períodos, podemos diminuir nossas reservas ao ponto de apresentarmos deficiência nutricional. Mas, após retornar ao consumo adequado, ou levemente aumentado em alguns casos, o corpo reestabelece suas reservas.

Um exemplo são pessoas que optam pelo vegetarianismo sem o devido acompanhamento nutricional para um balanço adequado dos nutrientes que são diminuídos sem o consumo de carne vermelha, como a vitamina B12. A carência de vitamina B12 provoca déficit de memória, entre outros problemas neurológicos.

Multivitamínico: para que serve?

para que servem os multivitamínicos

As vitaminas e minerais são fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo, auxiliando em diversos processos metabólicos.

O multivitamínico é utilizado para suprir alguma deficiência nutricional ou como forma de prevenir uma provável deficiência causada pelo aumento das necessidades de determinadas vitaminas e minerais em certas condições, como a gestação, por exemplo.

Também podemos fazer o uso de suplementos alimentares quando nossa alimentação não atinge quantidades suficientes de nutrientes para o bom funcionamento do nosso organismo.

A vitamina D, por exemplo, não é encontrada nos alimentos. Sua melhor fonte para nós é o banho de sol.

Infelizmente, com o avanço da civilização passamos muito tempo confinados em locais fechados e sem exposição direta ao sol – ou, para prevenir câncer de pele, fazemos nossa exposição ao sol somente com protetor solar, que impede a metabolização da vitamina D no nosso corpo.

Sem essa fonte adequada de vitamina D, acabamos tendo certo grau de deficiência dela; e como ela não é muito encontrada em alimentos, a suplementação se torna necessária.

Multivitamínico previne/trata doenças?

multivitamínico previne trata doenças

É de senso comum que o uso de suplementos vitamínicos colabore para melhorar nossa imunidade e, assim, nos ajuda a prevenir doenças, como resfriados.

Algumas doenças, aos quais os multivitamínicos podem ser coadjuvantes no tratamento, estão ligadas ao estresse. O aumento do estresse nas pessoas, e a constante exposição à poluição, muito comum em grandes centros urbanos, e outros fatores externos contribuem para o aumento dos radicais livres no nosso corpo. Neste caso, as vitaminas e minerais presentes no suplemento atuam neutralizando esses radicais livres e, consequentemente, seus efeitos nocivos no corpo.

Quando falamos de multivitamínicos na prevenção e, até mesmo, tratamento de alguma doença, estamos falando de doenças que tenham como causa alguma carência nutricional.

Para as pessoas que apresentam patologias que não estão ligadas à nutrição, alguns estudos mostram que determinadas vitaminas e minerais podem ser coadjuvantes, mas nunca os únicos, utilizados no tratamento.

O que a deficiência de vitaminas e minerais pode causar no seu corpo

o que a deficiência de vitaminas e minerais pode causar no nosso corpo

A deficiência nutricional, seja de vitaminas ou minerais, causa os mais variados sintomas que, muitas vezes, podem passar despercebidos.

Cansaço excessivo, sonolência, dificuldade de concentração, sangramentos na gengiva, queda de cabelo, unha quebradiça, pele ressecada, imunidade baixa, dentre outros. São vários os sintomas que normalmente têm como causa o estresse do dia-a-dia, aliado a uma alimentação inadequada.

Por isso, o acompanhamento médico e nutricional periódico é tão importante! Os profissionais da saúde são capacitados para  identificar pequenas carências nutricionais. Através de exames clínicos e laboratoriais é identificado a deficiência e, dependendo do grau, a forma de tratamento é diferente.

Quem precisa utilizar multivitamínico?

quem precisa utilizar multivitamínico

Quem faz parte dos grupos considerados de risco: gestante, nutriz (mães que amamentam), paciente de cirurgia bariátrica ou outra cirurgia do trato gastrointestinal, vegetarianos e alguns pacientes de doenças crônicas. Para quem se enquadra em alguma dessas categorias, é importante consultar um médico e verificar qual o suplemento mais indicado para o seu caso.

Já para o resto da população, é preciso estar atento aos detalhes: como anda a sua alimentação? A correria do dia está te fazendo substituir uma refeição por um lanche rápido? Tem pulado o café da manhã? Como anda seu estado de saúde? Você pratica atividade física intensa?

Pessoas que não se alimentam corretamente são sérias candidatas a uma carência alimentar. Portanto, fique atenta e considere introduzir uma suplementação de multivitamínico.

Este tipo de suplemento alimentar, quando usado de maneira correta, com a devida orientação profissional, podem ser um suporte e complemento fundamental para a sua alimentação.

Da mesma forma, quando fazemos atividade física intensa, mas não nos alimentamos o suficiente, é preciso ficar atento, pois o exercício físico aumenta nossas necessidades energéticas e nutricionais. E assim se torna necessário, não somente suplementos a base de proteínas, mas também outros nutrientes que não estejam sendo devidamente repostos através da alimentação.

Multivitamínico faz mal?

multivitamínicos podem fazer mal

Tudo que é ingerido em excesso faz mal, inclusive vitaminas e minerais. Mesmo sendo essenciais para o bom funcionamento do organismo, seu excesso pode ser acumulado no corpo ou excretado, dependendo de qual nutriente estamos falando e assim podemos ter efeitos adversos. Vamos a um exemplo de cada situação:

Vitamina C

Um suplemento de vitamina C que traz quantidades de ácido ascórbico muito superior a nossa capacidade de absorção, faz com que nosso corpo excreta o excesso ingerido através da urina, já que a vitamina C é hidrossolúvel.

Qual efeito adverso?

Dependendo do estado de saúde e, caso não venha acompanhado de uma boa hidratação, esse excesso pode colaborar na formação de cálculos renais.

Vitamina E

Já o excesso de vitamina E, lipossolúvel, tem todo seu conteúdo armazenado no corpo e não excretado como no caso da vitamina C.

Qual efeito adverso?

Pode causar alterações na coagulação do sangue, como também sintomas de dor de cabeça crônica. Por esse motivo, opte por multivitamínicos que não ultrapassem 100% das necessidades diárias recomendadas.

Afinal, nós ainda absorvemos os nutrientes dos alimentos que comemos e estes devem ser somados ao que ingerimos por suplementação – sendo importante um planejamento nutricional adequado às suas necessidades, para não ocasionar excessos.

A única exceção a esta regra ocorre em casos de patologias específicas, onde o médico pode indicar suplementação específica que ultrapasse 100% da recomendação, mas isso só deve ser feito sob supervisão de um profissional da saúde.

Suplementação por tempo limitado

O ideal é que a suplementação alimentar, feita com multivitamínicos, seja realizada por um tempo limitado – enquanto durar suas necessidades aumentas, por exemplo: durante o período gestacional.

Mesmo que utilizado como forma de complementar as necessidades do dia a dia, é importante que a alimentação seja suficiente para atender suas necessidades nutricionais. Nesse sentido, utilize os multivitamínicos pelo mínimo de tempo possível para garantir o reestabelecimento dos nutrientes perdidos.

Multivitamínico engorda?

Muitas pessoas acreditam que o uso de multivitamínicos engorda, entretanto isso não é verdade pois este suplemento não fornece calorias suficientes para promover um ganho de peso nas pessoas (e também não está ligado a perda de peso).

Acontece que, em alguns casos de deficiência nutricional, o indivíduo pode apresentar perda de apetite e, quando começa seu tratamento com a suplementação seu apetite volta – e assim a pessoa apresenta um ganho de peso. O aumento da apetite neste caso é normal e esperado, já que a falta dele é um dos sintomas da deficiência nutricional.

Como escolher o melhor multivitamínico?

como escolher o melhor multivitamínico

Nas prateleiras da das lojas de suplementos e produtos naturais, é possível encontrar multivitamínicos de todos os tipos, Se olhar a tabela nutricional irá encontrar as mais variadas composições.

Um dos motivos de se fazer a escolha certa para sua suplementação não diz respeito só a intoxicação por excesso de vitaminas, mas também porque vitaminas e minerais competem entre si para sua absorção e, uma associação malfeita, pode lhe custar caro, já que os nutrientes necessários não serão absorvidos.

Para escolher o que melhor se adapta ao seu metabolismo você precisa consultar um médico ou nutricionista e também auxiliar o profissional de saúde respondendo a algumas importantes perguntas:

  • Tenho alguma deficiência nutricional?
  • Tenho alguma patologia que me impede de tomar determinada vitamina/mineral?
  • Tenho alguma patologia em que determinada vitamina/mineral é importante para o tratamento?
  • Qual apresentação do multivitamínico (pó/comprimido/cápsula/drágea/gel/líquido) é mais adequada para a absorção dos tipos de nutrientes que eu preciso?
  • Tenho alguma restrição alimentar? (alergia, intolerância, vegetarianismo)
  • Qual o meu objetivo a alcançar tomando o multivitamínico? (Quero diminuir a queda de cabelo, melhorar a memória…)
  • Alimentação não é suficiente para suprir essa deficiência?

A partir dessas respostas, já é possível delinear um perfil de vitaminas e minerais que sejam mais adequadas a sua real necessidade. Com essa informação fica fácil encontrar o multivitamínico ideal para você. Se estas informações ainda não forem suficientes, opte por aqueles que:

  • Que tenham o mínimo possível de outros nutrientes, além dos que você realmente precisa;
  • Que a quantidade do nutriente que você precisa estejam em maior quantidade, no caso de comparação entre marcas;
  • Que sejam de marcas confiáveis e preferencialmente recomendados pelo seu médico ou nutricionista;
  • Que não passem de 100% do valor diário recomendado (exceto em casos específicos).

Como escolher a melhor apresentação do multivitamínico

Comprimidos, tabletes, cápsulas, drágea, pó, gotas, gel, pastilha mastigável, efervescente… existe uma variedade de apresentações dos multivitamínicos disponíveis no mercado.

Na hora de escolher é preciso levar em consideração o tipo que mais se adapta a sua rotina e gosto pessoal. Cada tipo vitamina e mineral possui um local de absorção específico, mas os multivitamínicos no mercado já estão adaptados ao melhor aproveitamento do produto.

Comprimidos, tabletes, drágeas e cápsulas são mais práticos para carregar na bolsa, além de seremos mais comuns de se encontrar – e muitas vezes, mais baratos que as outras apresentações.

Pastilha mastigável, em gotas, gel, pó e efervescentes são boas escolhas para aqueles que tem alguma sensibilidade no estômago, como gastrite, pois não agridem a mucosa como os comprimidos e cápsulas. Diabéticos devem ficar atentos à composição, para garantir que não tenha açúcares.

A hora da ingestão do multivitamínico importa?

a hora da ingestão do multivitamínico importa

Sim! Cada tipo de vitamina tem uma forma melhor de ser absorvida, e como anteriormente mencionado, alguns nutrientes competem entre si para serem absorvidos.

Um bom exemplo é da competição entre ferro e cálcio. Esses dois minerais, quando juntos na mesma refeição, se quebram diminuindo a absorção. Por isso, não é aconselhável uma suplementação de ferro e cálcio no café da manhã se você toma leite nesse mesmo horário.

E também não é ideal que um suplemento de cálcio seja ingerido durante o almoço ou o jantar, pois são refeições onde temos maior aporte de ferro.

No entanto, uma regra geral no caso de multivitamínicos é não fazer sua ingestão em jejum e dar preferência a ingeri-los juntamente com alimentos que tenham gordura. Isso porque a gordura facilita a absorção de vitaminas lipossolúveis, quando presentes no suplemento.

Sempre leia as informações contidas no rótulo e siga as recomendações do fabricante. Não se esqueça também de perguntar ao seu médico e/ou nutricionista qual a melhor forma e horário para ingerir o seu multivitamínico.

Conclusão

Os suplementos vitamínicos são importantes para nos auxiliar em casos de deficiência nutricional ou, até mesmo, quando nossa alimentação não é suficiente para atingir nossas necessidades diárias de vitaminas e minerais. Entretanto, uma alimentação saudável nunca deve ser deixada de lado, mesmo que façamos o uso de suplementos multivitamínicos.

Com diversas composições e apresentações disponíveis no mercado, é preciso entender sua necessidade individual e preferências na hora de comprar um multivitamínico, para assim evitar excessos de nutrientes que podem trazer algum prejuízo para sua saúde.

Sempre consulte seu médico ou nutricionista quando suspeitar de alguma deficiência nutricional. Estes são os únicos profissionais habilitados para identificar, através de exames, necessidade, duração e tipo de tratamento mais eficaz para você.

O que achou do artigo? Compartilhe sua experiência conosco e com outras leitoras nos comentários!

Não se esqueça também de deixar o seu e-mail no campo abaixo para ter o privilégio de ser a primeira a receber artigos como este e também conteúdos inéditos, não publicados no Blog. Seu e-mail estará 100% seguro, não fazemos Spam!


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos Relacionados