Gordura localizada vs. retenção de líquidos: semelhanças, diferenças e como acabar com ambas sem abrir mão da saúde

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!


Gordura localizada vs. retenção de líquidos: semelhanças, diferenças e como acabar com ambas sem abrir mão da saúde

25 de fevereiro de 2019
Aline Marques (CRN3 - 46439)
Nutricionista

gordura localizada

gordura localizada é uma das maiores queixas de pessoas que buscam programas e técnicas de emagrecimento. É a famosa gordurinha que se acumula principalmente na região abdominal (barriga e flancos), quadris e costas.

No entanto, é muito comum quando vemos alguns quilos a mais na balança confundirmos uma situação de inchaço com acúmulo de gordura e aqui vamos ver como diferenciar uma da outra. 

Como se forma a gordura localizada

gordura localizada é formada pelo tecido adiposo, cujo principal componente celular é o adipócito. Tal célula é especializada em armazenar o excedente de calorias.

O tecido adiposo é responsável por sustentar e proteger diversos órgãos, atuar como isolante térmico e secretar citocinas que modulam diversas funções. 

Existem dois processos principais da metabolização de gorduras, a lipogênese e a lipólise:

Lipogênese

lipogênese

A lipogênese é o processo de armazenamento. Quando ingerimos carboidratos, estes entram na corrente sanguínea no formato de glicose.

Quando essa concentração de glicose está aumentada, ela é removida pelo fígado e armazenada na forma de glicogênio.

Se este atinge uma concentração limite, é transformado pelo fígado e eliminado no sangue em forma de ácidos graxos que, por sua vez, são armazenados nos adipócitos em forma de gordura.

Lipólise

A lipólise, no entanto, é a quebra dessa gordura. Quando os níveis de glicose estão baixos no sangue, o fígado quebra o glicogênio armazenado para liberar a glicose no sangue. Porém, para que as reservas de glicogênio do fígado fiquem estáveis, ele capta os ácidos graxos do sangue, armazenando-os como glicogênio.

Se os níveis sanguíneos não são suficientes, os adipócitos são induzidos a liberar esses ácidos e aí que ocorre a perda de gordura do corpo.

Acúmulo e perda de gordura localizada: fatores de influência

Tanto a lipólise como a lipogênese são influenciadas por fatores como ingestão calórica, gasto energético, hormonal, psicológicos, sócio-familiares e genéticos.

Segundo estudos, a má formação das células adiposas na infância é o principal motivo para a formação da adiposidade.

Além disso, situações da vida adulta como estresse, fumo, ingestão de álcool, sedentarismo, maus hábitos alimentares e disfunções gerais do organismo, podem aumentar a predisposição. 

Problemas que a gordura localizada pode acarretar

Embora a gordura corporal desempenhe funções importantes no corpo humano, o excesso do tecido adiposo e a presença da gordura localizadapode causar sérios distúrbios para a saúde, além de ser indesejável nos padrões estéticos atuais. 

O excesso de adiposidade reduz a expectativa de vida pelo aumento do risco de doenças cardíacas coronarianas, hipertensão, diabetes, osteoartrite e certos tipos de câncer. 

Classificação da gordura localizada nos tipos de corpos

Normalmente, a deposição da gordura é classificada em 4 tipos:

Tipo “maçã

O depósito de gordura se dá mais em torno do abdômen e estômago, caracterizando um tronco mais redondo e largo e pés magros e nádegas planas. Normalmente, quem tem esse tipo de corpo tem mais probabilidade de apresentar dislipidemia, hipertensão, diabetes tipo II, doenças cardíacas e derrames. 

Tipo “pera”

A gordura se encontra nos quadris, nádegas e coxas e o tronco é mais fino. A perda dessa gordura é um pouco mais difícil devido à estrutura dos adipócitos da região. 

Tipo “ampulheta”

A gordura se acumula nos seios e nas nádegas, deixando a cintura pequena e ombros e quadris mais proeminentes.

Tipo “retangular”

O corpo é tipo uma peça única, sem demarcação de curvas ou cintura.   

Vale lembrar que a gordura localizada pode existir mesmo em pessoas que não possuam um peso elevado, e é uma patologia do tecido no qual a gordura irá se acumular mais em determinados locais do que em outros.

Normalmente, em mulheres, a gordura localizadaencontra-se mais nos quadris, coxas e nádegas, enquanto que nos homens, é mais presente na região abdominal. 

Como evitar ou eliminar a gordura localizada

como evitar ou eliminar a gordura localizada

Devido ao atual padrão de beleza, muitas pessoas, mulheres e, ultimamente, homens, procuram por procedimentos estéticos que promovam a redução das gorduras localizadase demais questões associadas (redução da celulite, por exemplo). 

Alguns estudos comprovam a eficácia dos tratamentos estéticos a curto prazo, no entanto, se alguns hábitos de alimentação e prática de atividade física não forem seguidos, essa gordura voltará a se depositar no corpo. Confira, a seguir, dicas de como evitar ou eliminar gordura localizada:

Fracionar a alimentação diária em refeições menores

Esta prática irá promover uma redução na ingestão calórica total que é consumido durante o dia.

Com isso, é possível que o corpo utilize as reservas de gordura para repor a glicose sanguínea (mecanismo explicado acima).

Fracionar as refeições também auxiliará no aumento da atividade metabólica e, quanto maior o gasto energético, menor a quantidade de gordura a ser depositada.

Comer devagar

Quando comemos de vagar, mastigando bem os alimentos, damos tempo de o organismo ativar os sinais de saciedade.

Ao perceber o sinal de que estamos satisfeitos, não ingerimos calorias a mais do que o nosso corpo precisa e tudo aquilo será metabolizado, sem que ocorra o depósito.

Manter uma rotina

Para quem tenta evitar ou eliminar a gordura localizada, é importante que exista um equilíbrio entre os dias da semana e os finais de semana.

É muito comum seguir uma rotina alimentar e de atividade física de segunda a sexta-feira e relaxar aos finais de semana.

Fazendo isso, o corpo elimina os excessos da semana, mas acumula dos demais dias, dificultando que a perda ocorra.

Não ficar longos períodos sem comer

É claro que cada corpo reage de uma determinada maneira a períodos de jejum, no entanto, o que costuma acontecer é a estocagem de gordura.

De maneira bem simples, o corpo estimula essa reserva para que não falte energia, com isso, todo o metabolismo é diminuído, a fim de que se poupe o substrato.

Praticar atividade física

Fará com que as reservas de gordura sejam mobilizadas para que não haja déficit energético, mas devemos sempre nos atentar ao fato de que um bom pré e pós-treino podem melhorar muito essa atividade. 

Quais alimentos auxiliam na perda da gordura localizada

quais alimentos auxiliam na perda da gordura localizada

É muito comum o pensamento de que para evitar a gordura localizadadevemos deixar de comer alimentos fontes de gordura. 

Porém, tal pensamento é errado! Uma alimentação adequada, que forneça todos os grupos de nutrientes, é essencial para a definição corporal.

O que será levado em consideração, além da quantidade consumida, é a qualidade desses alimentos:

– Alimentos termogênicos como café, chá verde, canela, pimenta e gengibre, aceleram o metabolismo, contribuindo para a redução da gordura localizada;

– Alimentos de baixa carga glicêmica, uma vez que não irão aumentar muito os níveis de glicose e promover a estocagem desta em forma de glicogênio e ácidos graxos; 

– Gorduras boas provenientes do azeite e peixes, pois tem propriedades anti-inflamatórias e auxiliarão no processo de emagrecimento e redução da gordura localizada;

– Frutas vermelhas possuem antioxidantes que atuam no metabolismo das gorduras, favorecendo principalmente na perda da gordura abdominal;

– Probióticos manterão o intestino ativoe irão favorecer o processo de digestão e absorção dos nutrientes, fator essencial para um emagrecimento que seja duradouro e saudável. 

E a retenção de líquidos? 

e a retenção de líquidos

Durante a gravidez, período pré-menstrual, ou até mesmo em algumas situações cotidianas nas quais passa-se muito tempo em pé ou sentado ocorre a retenção de líquidos, trazendo aquela sensação desconfortável do inchaço. 

Esse inchaço é causado pelo extravasamento de um líquido que sai do sangue e se acumula no tecido subcutâneo, ou seja, existe mais líquido entre as células do que o normal.

Esse acúmulo deixa a pele com um aspecto inchado e quando em contato com roupas mais apertadas, deixam uma marca transitória. 

Por que retemos líquido?

A retenção pode ocorrer nas situações já citadas acima (gravidez, menstruação, longos períodos em pé ou sentada) mas também por outras causas que determinem uma patologia.

O corpo apresenta diversos mecanismos de equilíbrio dos líquidos que nele estão presentes. Caso essa homeostase seja afetada, seja por variações da pressão sanguínea, quantidade de proteínas no sangue ou pela quantidade de sais circulantes, o inchaço pode ocorrer.

Em situações de patologia, a retenção de líquidos pode ser um sintoma dos seguintes casos:

– Doenças renais, cardíacas ou hepáticas: isso porque os órgãos afetados participam do metabolismo hídrico;

– Doenças relacionadas à glândula tireoide que causam um edema específico;

– Remédios anti-hipertensivos que alteram a permeabilidade dos vasos sanguíneos;

– Inflamação: a reação inflamatória altera a capacidade dos vasos de reter o extravasamento.

É importante sempre buscar uma orientação médica para descobrir se a causa do inchaço é de origem patológica. 

Como diferenciar a retenção de líquidos da gordura localizada

Comumente, ao subir na balança e ver alguns números a mais, instantaneamente vem o pensamento de que engordou.

No entanto, o inchaço é capaz de aumentar alguns quilos, afinal, líquidos também pesam. E o inchaço, principalmente na região abdominal, é facilmente confundido com gordura. 

Para descobrir se está com o corpo retendo líquido existe um teste simples e rápido. Quando pressionamos alguma região do corpo e as marcas dos dedos ficam por mais que três segundos, podemos dizer que existe líquido acumulado. Caso essa marca da pressão se dissipe rapidamente, há a probabilidade de gordura acumulada. 

Realizar uma alimentação mais leve, com alta ingestão de líquidos, seja água ou algum chá diurético, também é uma maneira de descobrir se está retendo líquido ou se realmente alguns quilinhos extras surgiram por aí. 

Retenção de líquido e alimentação

Assim como nos casos de gordura localizada, a retenção hídrica também é influenciada pela alimentação. Uma alimentação desregrada, onde se consuma sal e carboidratos refinados em excesso, com pouco consumo de fibras, vitaminas e água, além de não realizar atividade física regularmente, certamente ocasionará a retenção de líquidos. 

Como a retenção de líquidos é uma situação transitória, algumas dicas podem ser seguidas para evita-la ou diminui-la:

Consuma chás que combatam a retenção

O consumo de água e chás já aumentam normalmente a diurese, no entanto, algumas ervas podem potencializar esse efeito diurético. Chá verde, cavalinha, hibisco, gengibre e salsa são ótimas apostas.

Pratique atividade física

A contração muscular faz com que o líquido em excesso seja eliminado através da urina. Atividades aeróbicas também são indicadas para que haja a eliminação do liquido retido.

Diminua o consumo de sal

O sódio em excesso desequilibra a homeostase hídrica, além de outros malefícios. É indicado que se substitua o sal nas preparações por ervas e temperos, como salsinha ou orégano, por exemplo;

Evitar alimentos embutidos, enlatados e demais processados

evitar alimentos embutidos enlatados e demais processados

Alimentos como estescontêm muito sal. Para issoque possamos evita-los é sempre importante verificar os rótulos dos alimentos e, quando possível, optar por uma alimentação mais natural.

Reduzir o consumo de carboidratos refinados

Carboidratos refinados promovem picos de insulina, causando maior retenção de sódio pelos rins e promovendo aumento de fluidos no corpo.

Além das dicas acima é importante ainda aumentar o consumo de alimentos diuréticos e ricos em água como melancia, morango, melão, abacaxi, pepino.

Outra dica importante é consumir alimentos ricos em potássio, pois este equilibra os níveis de sódio no corpo, diminuindo a probabilidade da retenção.

Em situações mais extremas, pode-se fazer uso, mediante prescrição médica, de remédios diuréticos a fim de reduzir a retenção. 

Tratamentos e alternativas estéticas

O padrão estético atual exige um corpo longilíneo e magro. A gordura localizada, principalmente na região abdominal, é motivo de preocupação e desconforto para muitas mulheres, deixando-as insatisfeitas com a sua imagem corporal, além do risco de desenvolvimento de diversas patologias. 

Devido a esse mercado crescente, muitos procedimentos estéticos vêm sendo desenvolvidos para aliar a promoção da saúde e auxiliar na busca do padrão estético ideal. 

Alternativas menos invasivas têm sido bem procuradas em clínicas de estética e, estudos mostram que, quando aliadas à uma alimentação equilibrada e prática regular de atividade física, os efeitos dos procedimentos são mais duradouros. 

Por isso, se a sua condição financeira permitir a utilização de um procedimento estético, lembre-se que poderá ter maior sucesso seguindo hábitos de vida saudáveis. 

Conclusão

Tanto a gordura localizada,quantoa retenção de líquidos são situações muito comuns e que causam desconforto na maioria das mulheres. Manter hábitos de vida saudáveis irão promover a saúde e evitar que as situações se agravem para uma patologia.

Seguir dicas simples de alimentação ajudam na prevenção e redução dos inchaços e do acúmulo de gordura.

Fazer uso de modelos dietéticos sem um auxílio profissional pode ser prejudicial, uma vez que podemos reduzir a atividade metabólica e aumentar ainda mais a retenção e o acúmulo. 


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos Relacionados