Protetor de calcinha: afinal, pode ou não pode?

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Protetor de calcinha: afinal, pode ou não pode?

8 de janeiro de 2017
Equipe Geração Fit

protetor de calcinha

Protetor de calcinha: desvendamos os mitos e verdades sobre o uso do controverso acessório íntimo feminino. Confira!

Muitas mulheres não dispensam o uso do protetor íntimo diário para se sentirem limpas o dia todo, sem eventuais odores naturais femininos.

Ginecologistas explicam que muitas mulheres se sentem seguras usando o protetor diário. No entanto, afirmam que ele é dispensável, sendo recomendado somente no final da menstruação, evitando assim o uso de absorventes espessos.

O principal motivo para que se evite os protetores de calcinha, está relacionado ao abafamento da região genital, que pode, inclusive, provocar infecções.

O ideal é usar uma calcinha de algodão fina. Quanto mais arejada a roupa, melhor, recomendam os ginecologistas.

Muitas mulheres optam por usar o protetor diariamente devido ao excesso de secreções que mancham a calcinha. Neste caso, o recomendado é consultar um ginecologista para ver se não há nada de errado.

Caso a mulher apresente secreção vaginal, é necessário a realização do Exame de Cultura de Secreção, em que é realizado pesquisa para fungos, como a clamídia ou bactérias anaeróbicas.

O problema é que a flora da vagina é equilibrada e, quando a região é abafada, acaba acontecendo uma mudança da flora predispondo a infecções bacterianas ou por fungos.

A quantidade natural de secreções pode aumentar por esse desequilíbrio, causando o efeito rebote.

Portanto, evite o uso desnecessario do protetor de calcinha e consulte regularmente o seu ginecologista.

Equipe geração fit

Nós ajudamos mulheres a atingir uma vida mais plena e saudável, através de conteúdo responsável e de alta qualidade, sobre os mais diversos temas ligados às áreas de Nutrição e Atividade Física.


DEIXE SEU COMENTÁRIO