Saiba como prevenir a ressaca pós-festas de final de ano

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Saiba como prevenir a ressaca pós-festas de final de ano

13 de dezembro de 2016
Equipe Geração Fit

prevenir a ressaca

Prevenir a ressaca: isso é mesmo possível? Mostraremos a seguir que com alguns cuidados simples, podemos sim diminuir consideravelmente os sintomas.

Em época de festas de final de ano, as pessoas acabam exagerando na bebida e por conta disso, no dia seguinte, lá está ela, a Ressaca.

Dor de cabeça, náuseas, vômitos, sede, tontura, indisposição e diarréia são alguns dos sintomas. Isso acontece porque o álcool, quando ingerido em excesso, é uma substância tóxica para o organismo.

Dificilmente todos os sintomas aparecem de uma vez, mas é raro alguém exagerar na bebida e não sentir nada no dia seguinte.

O álcool causa uma inflamação aguda no estômago e agride o fígado, gerando enjoo, vômito e mal-estar. O sistema nervoso também é afetado, então surge a dor de cabeça.

A única forma de não ter nenhuma ressaca é não beber grandes quantidades, porém algumas medidas simples podem ajudar a melhorar os sintomas.

Confira algumas dicas que ajudam a prevenir a ressaca e diminuir os sintomas:

Coma alimentos integrais

O álcool é corrosivo para a mucosa do estômago, por isso esse órgão precisa de uma atenção extra, arroz e pão integrais ajudam a proteger o estômago. Então, é ideal que sejam consumidos com frequência.

Cuidado com bebidas de má qualidade

Fuja das bebidas de má qualidade, especialmente se forem destiladas. Os álcoois de cadeia média e aldeídos presentes nesse tipo de bebida aumentam muito a toxidade do álcool e causam mais danos ao fígado, cérebro e outros órgãos.

Nas bebidas de qualidade a parte inicial e final da destilação são separadas e descartadas. Quando uma pessoa ingere uma bebida mal-destilada, ingere substâncias tóxicas que causam uma ressaca muito mais severa.

Não misture bebidas

Cada bebida alcoólica tem um processo de fermentação e utiliza substâncias diferentes. Ao beber diversos tipos de bebidas, há uma mistura de tipos de substâncias, isso pode potencializar o efeito negativo da bebida, mesmo quando a quantidade foi pequena. As pessoas que misturam bebidas costumam passar mais mal e se recuperarem de forma mais lenta.

Invista em hidratação

A água é sua melhor amiga no combate à ressaca. As moléculas de água formam complexos chamados de azeotropos com o álcool, que resulta num efeito como se as moléculas de álcool fossem sequestradas, ajudando a prevenir a ressaca.

Outro benefício é que ela ajuda na eliminação do álcool pela urina. O ideal é beber de 4 a 6 copos de água enquanto está consumindo quantidades de álcool maiores que as habituais.

Consumir água imediatamente antes ou depois de beber também auxilia na redução da toxicidade do álcool, ajudando a prevenir a ressaca.

Lembre-se que saco vazio não para em pé

O que mais ajuda antes do primeiro gole é comer, em especial uma comida rica em amido e vegetais. Quanto menos comida haver no organismo mais rápida e mais eficiente será a absorção de álcool, aumentando o mal-estar.

Em seguida é a vez de o fígado ser agredido. O ideal é se alimentar também enquanto ingere álcool, especialmente alimentos com glicose.

Cuidado com os remédios

Alguns medicamentos são vendidos com a promessa de prevenir a ressaca. Porém, isso não funciona bem assim. Geralmente eles são remédios analgésicos, mas trabalham apenas para diminuir alguns sintomas, eles não evitam a agressão ao organismo.

Os medicamentos com aspirina também não são uma boa, já que irritam o estômago e o intestino. Além disso, a duração do efeito da aspirina é de quatro horas, assim quando a pessoa precisa do efeito analgésico, ela já cessou.

Agora, quando o assunto é a dor de cabeça no dia seguinte, alguns medicamentos podem ajudar. Porém, isso também exige cuidados, já que esses remédios agridem o estômago e fígado.

A dipirona associada à cafeína é a melhor opção para a dor de cabeça da ressaca, desde que a pessoa não esteja com vômitos ou dor abdominal

Cuidado com o vinho

Sabe aquela história de que vinho dá dor de cabeça no dia seguinte? É verdade, em partes. Muitos vinhos, especialmente os de má qualidade, usam nitratos como conservantes, eles se transformam em óxido nítrico no corpo, que potencializa os efeitos do álcool sobre o sistema nervoso e aumenta a dilatação dos vasos das meninges (membranas que envolvem o cérebro).

Evite gordura e ingira doces

Como a bebida agride o estômago ele deverá estar mais sensível no dia seguinte. Por isso, evite alimentos pesados, gordurosos e com tempero forte. Já a dica de alimentação logo depois da bebedeira é comer doces (carboidratos simples).

Quando a pessoa bebe a glicemia abaixa, e essa é uma das causas da ressaca e do mal-estar. Esse tipo de carboidrato restaura rapidamente a glicose no sangue e recupera o glicogênio do fígado, assim a recuperação fica mais rápida

Descanse

Um dos sintomas da ressaca é a moleza e para evitá-la é preciso dormir adequadamente. O repouso é fundamental para se recuperar de qualquer condição que comprometa sua saúde.

Tome um bom chá

Caso não tenha seguido nenhuma das recomendações para evitar a ressaca, ainda há uma forma de aliviar seus sintomas. Várias plantas medicinais são conhecidas por ajudar a combater esse mal-estar, basta escolher o chá certo.

Algumas ervas atuam no fígado e ajudam na eliminação do álcool pela urina, as principais são o boldo falso (Plectrantus barbatus) e a carqueja (Bacharis trimera), ambas podem ser usadas preventivamente, para reduzir os efeitos da ressaca, e curativamente, para ajudar na recuperação rápida. Uma colher de sopa da planta seca para 150 ml de água fervente são suficientes para fazer o chá.

Equipe geração fit

Nós ajudamos mulheres a atingir uma vida mais plena e saudável, através de conteúdo responsável e de alta qualidade, sobre os mais diversos temas ligados às áreas de Nutrição e Atividade Física.


DEIXE SEU COMENTÁRIO