Saiba como o estresse do dia a dia pode afetar seu peso

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!


Saiba como o estresse do dia a dia pode afetar seu peso

13 de julho de 2016
Equipe Geração Fit

Estresse

Problemas em casa ou no trabalho? Provas da faculdade que não te deixam em paz? Tudo isso está afetando o seu sono e, as noites bem dormidas se tornaram raridade?

Se a resposta é sim, você está estressada e, isso pode explicar, em parte, aquelas gordurinhas localizadas, que você não consegue perder.

Para se entender o porquê dos quilos a mais, é necessário, primeiramente, entender as alterações hormonais que ocorrem em nosso organismo quando estamos estressados.

Muitos de nós, quando nos sentimos sob pressão, temos um aumento no apetite. Tudo isso se deve a ativação de cascatas hormonais que, em ultima análise, nos colocam em um estado conhecido como “lutar ou fugir”, também chamado de Estado de Alerta.

Quando atingimos esse patamar, o organismo entende que, para lidar com a situação de risco – “lutar ou fugir” – um número maior de calorias terá de ser gasto, e, portanto uma ativação neuro-hormonal ocorre no sentido de aumentar nossa ingestão de calorias, mesmo que não as tenhamos gasto.

Entendendo melhor…

Dos hormônios envolvidos na resposta ao estresse, um deles é o cortisol, produzido por duas glândulas localizadas acima dos rins – as suprarrenais. Seus níveis sanguíneos aumentam quando enfrentamos situação de muita pressão ou ansiedade.

Dentre as várias funções do cortisol no organismo, uma delas é o aumento da pressão sanguínea, a elevação dos níveis de açúcar no sangue e a redução da resposta imune.

A elevação da glicose sanguínea acaba por elevar a produção de insulina pelo pâncreas, esse hormônio é conhecido por facilitar a entrada de glicose – açúcar – dentro das células.

Com a entrada de mais glicose dentro das células, os seus níveis sanguíneos tentem a baixar e, no final das contas, aumenta o nosso desejo por alimentos açucarados e/ ou calóricos – as “junk foods”- isso é como uma estratégia do nosso corpo de para fazer com que a glicose do sangue retorne à níveis normais.

Quais os prejuízos causados pelo Estado de Alerta?

Além disso, o Estado de Alerta constante também pode prejudicar seu sono, isso também provoca alterações hormonais que podem ser prejudiciais ao seu peso.

Muitos estudos mostraram que a privação de sono reduz a produção de leptina, que é o hormônio responsável por dar ao nosso organismo a sensação de saciedade.

Qualidade do sono x índice de massa corpórea

Cientistas do Integrative Cardiac Health Project at Walter Reed Army Medical Center descobriram que há uma relação estreita entre qualidade do sono e índice de massa corpórea.

Indivíduos com qualidade de sono pior tentem a apresentar uma maior massa corpórea segundo os estudos.

Cientistas da Universidade de Bristol também descobriram a má qualidade de sono em crianças, aumenta a chance de elas se tornarem obesas.

Resumindo, no final das contas teremos: mais estresse, pior qualidade e quantidade de sono, mais cortisol, menos leptina, maior apetite e maior desejo por junk foods, maior ingestão de calorias, e, aumento de peso à custa de gordura.

Enfim, lembre-se de cuidar da sua saúde mental e qualidade do sono, para que suas metas de saúde não sejam presas desse vilão silencioso que pode estar colocando alguns quilinhos a mais na sua balança sem que você perceba.

Adriano Fiorini

Adriano Fiorini (CRMMG 55654 )Médico Especialista em Clínica Médica

Especialidade: Medicina Interna – Residência Medica Hospital Odilon Behrens. Graduado na Universidade Federal de Minas Gerais. Hobbies: amante de política, corrida, musculação e trekking. Atende em Belo Horizonte – MG.


DEIXE SEU COMENTÁRIO