Quem corre é mais feliz, diz estudo

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Quem corre é mais feliz, diz estudo

21 de agosto de 2018
Equipe Geração Fit

quem corre é mais feliz

Quem corre é mais feliz: estudo de universidade canadense descobre que efeitos da recompensa provocados com a corrida, saiba agora!

A leptina é um hormônio produzido pelo tecido adiposo que também atua influenciando os mecanismos de saciedade e também a atividade física. O conhecido “barato” da corrida, a sensação de bem estar, liberdade e energia que os corredores experimentam parecem estar associadas não apenas com a liberação da endorfina, mas por um mecanismo de recompensa ativado pela leptina.

Os níveis altos de leptina inibem a produção de dopamina, que é o neurotransmissor responsável pela sensação de recompensa. A dopamina promove as sensações de euforia e satisfação que sentimos depois de comer uma grande refeição ou após exercício aeróbico intenso.

Quanto mais gordura no corpo, mais leptina e menos atividade física. É como se o organismo sinalizasse que não precisamos correr em busca de alimentos. A motivação para a corrida associada aos níveis de leptina parece estar associada à busca por comida. Aumentar a resistência e os efeitos de recompensa de execução como uma adaptação são meios de reforçar a busca e aquisição de alimentos.

Quem corre é mais feliz: estudo

Os efeitos da corrida não são apenas a liberação de endorfina, mas também pela leptina. Não está claro se corrida traz felicidade ou se felicidade estimula a correr. Na dúvida, calce os pés, corra e sorria.

De acordo artigo publicado no Journal of Happines Studies, pesquisadores avaliaram resultados obtidos através de 500 mil participantes em 23 estudos observacionais realizados desde 1980. Neles eram observados os hábitos e níveis de felicidade dos participantes, que foram divididos em dois grupos – uma para se exercitar e outro para fazer absolutamente nada.

Segundo o Departamento de Saúde e Serviços Humanos da Universidade de Michigan, são necessários 150 minutos de exercícios por semana para sentir melhoras no organismo. Com apenas dez minutos, no entanto, é possível aumentar o nível de felicidade. Não importa o tipo de atividade física, basta movimentar o corpo. Corrida, ciclismo, caminhada e alongamento são algumas das opções.

Mesmo pessoas que se exercitavam apenas uma vez por semana relataram melhora no estado de humor do que àqueles que não se exercitavam.

Por não ser um experimento controlado, não foi possível determinar qual a causa e efeito entre o exercício e a felicidade. Se a pessoa corre porque é feliz ou se é feliz porque corre. Há maior probabilidade de que pessoas mais felizes e com melhor saúde mental se exercitem mais e são propensas a permanecerem ativas por longa data.

Equipe geração fit

Nós ajudamos mulheres a atingir uma vida mais plena e saudável, através de conteúdo responsável e de alta qualidade, sobre os mais diversos temas ligados às áreas de Nutrição e Atividade Física.


DEIXE SEU COMENTÁRIO