Conheça a planta asiática capaz de prevenir pedra nos rins

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Conheça a planta asiática capaz de prevenir pedra nos rins

27 de janeiro de 2017
Equipe Geração Fit

pedra nos rins

Pedra nos rins: saiba qual a planta capaz de prevenir seu aparecimento.

A Garcinia cambogia é uma planta asiática encontrada no Camboja, em florestas no sul do continente africano e na Polinésia.

A pele de seus frutos tem alta concentração do ácido hidroxicítrico (HCA), uma substância que ajuda o metabolismo humano na absorção de gordura.

Por isso, o seu extrato, comercializado em forma de suplementos, faz parte da dieta de quem busca uma boa forma física. Um recente estudo divulgado na revista científica Nature traz nova função para a planta. Além de prevenir a formação de pedras nos rins ela ainda auxiliar no emagrecimento.

Na pesquisa, a substância mostrou um efeito muito semelhante ao citrato de potássio, elemento químico produzido pelo corpo para combater o acúmulo de pedras nos rins e também usado, em forma de medicamento, em pessoas com problemas renais.

Outro aspecto que ajudou na constatação da eficácia do HCA foi o fato de os frutos da Garcinia cambogia serem comestíveis.

Assim, disse o pesquisador, pôde-se fazer teste com humanos mais rapidamente. “Geralmente, leva um longo período de tempo para confirmar a toxicidade do composto”, explicou Rimer. “Disseram-me que o fruto, do sudeste da Ásia, é usado em muitas cozinhas, como na comida indiana.

Garcinia cambogia também recebeu muita atenção como um potencial suplemento dietético.”

Sete pessoas ingeriram o HCA retirado da planta asiática durante três dias. O ácido foi excretado pela urina, uma característica também avaliada como positiva para o uso médico.

Apesar dos resultados iniciais positivos, Cascelli destaca que novas pesquisas precisarão ser feitas até que o extrato da Garcinia cambogia chegue ao uso clínico. “Precisamos sempre alertar a população para que não queriam consumir esse alimento ou seu extrato, já que precisam ser encontradas mais provas que comprovem a sua ação.

Além disso, ele precisa ser usado em forma de remédio e somente para pessoas que mostrarem dificuldades renais”, frisou o cientista. Uma das próximas etapas do estudo é analisar possíveis efeitos causados pelo consumo do extrato a longo prazo.

Equipe geração fit

Nós ajudamos mulheres a atingir uma vida mais plena e saudável, através de conteúdo responsável e de alta qualidade, sobre os mais diversos temas ligados às áreas de Nutrição e Atividade Física.


DEIXE SEU COMENTÁRIO