Como as frutas cítricas podem interferir no metabolismo lipídico

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Como as frutas cítricas podem interferir no metabolismo lipídico

30 de janeiro de 2018
Dalcia Klimaczewski
(Estudante de Nutrição)

metabolismo lipídico

O metabolismo lipídico ocorre principalmente no fígado, onde as gorduras são oxidadas à moléculas menores, os ácidos graxos, e também onde estes são sintetizados. No fígado também há a produção de colesterol, triglicerídeos e lipoproteínas, sendo estas últimas as responsáveis pelo transporte das gorduras pela corrente sanguínea.

Qualquer desequilíbrio na saúde hepática e, consequentemente, nas quantidades totais de triglicerídeos, colesterol, lipoproteínas e ácidos graxos pode levar à ocorrência de diversas doenças, como a esteatose hepática não alcoólica, aterosclerose, dislipidemias e síndrome metabólica.

Dessa forma, as frutas cítricas podem ser utilizadas para prevenir tais doenças, pois elas interferem positivamente na saúde hepática, contribuindo indiretamente para a manutenção adequada do metabolismo lipídico.

Flavonoides presentes nas frutas cítricas contribuem com o metabolismo lipídico

Estudos recentes demonstraram que alguns flavonoides, como a naringina, neohespiridina e narirutina, presentes nas frutas cítricas, são responsáveis por reduzir a produção de citocinas, as quais aumentam o risco de desenvolvimento de doenças inflamatórias, como a esteatose hepática não alcoólica, que prejudica o metabolismo lipídico.

No caso da fibrose hepática, outros estudos mostraram que os flavonoides das frutas cítricas eram capazes de promover a supressão significativa de genes associados às citocinas inflamatórias no tecido hepático, além de induzir regeneração celular e redução de depósito de fibronectina, melhorando a função hepática e, indiretamente, o metabolismo lipídico.

Um outro estudo envolvendo indivíduos com dislipidemia demonstrou que o consumo de frutas cítricas pelo período de 12 semanas foi capaz de reduzir consideravelmente as quantidades totais de colesterol e triglicerídeos no plasma. Neste caso, o consumo de flavonoides teve resultados mais positivos do que a terapia medicamentosa.

Portanto, as frutas cítricas contribuem para a promoção da saúde hepática, interferindo indiretamente no metabolismo lipídico. Os flavonoides presentes nelas reduzem a produção de citocinas inflamatórias e contribuem para o equilíbrio das quantidades totais de gorduras no organismo. Então, incluí-las na dieta trará benefícios para o fígado e ajudará na prevenção de diversas doenças decorrentes do desequilíbrio lipídico, principalmente as cardiovasculares.

dalcia klimaczewski sidebar

Dalcia Klimaczewski

24 anos, comunicóloga e graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná. Adepta à nutrição comportamental, acredita que a saúde e o bem-estar são consequências do equilíbrio entre o corpo e a mente.


DEIXE SEU COMENTÁRIO