9 aminoácidos essenciais encontrados somente na alimentação

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!


9 aminoácidos essenciais encontrados somente na alimentação

16 de maio de 2019
Equipe Geração Fit

aminoácidos essenciais

Os aminoácidos são os ‘tijolos’ com os quais as proteínas são construídas, mas nem todos são produzidos pelo nosso corpo. Há nove que devemos obter através da alimentação. Conheça agora quais são eles!

Os aminoácidos são essenciais para a vida humana. Poderíamos dizer que são o pilar para construção das proteínas. Nosso organismo é composto por cerca de 250 mil proteínas diferentes, estas são formadas por apenas 20 aminoácidos, porém nosso corpo é capaz de “fabricar” só 11 deles.

Os outros nove – histidina, isoleucina, leucina, lisina, metionina, fenilalanina, treonina, triptofano e valina – são os chamados aminoácidos essenciais. Como não podem ser sintetizados pelo corpo humano, ou seja, devem ser conseguidos por meio da alimentação.

A grande dificuldade de obtenção dos aminoácidos ocorre, porque a maioria dos alimentos não contém individualmente todos os aminoácidos essenciais em quantidade suficiente.

É importante diferenciar entre as proteínas completas, que têm todos os aminoácidos essenciais em quantidade suficiente, e as incompletas, quando ao menos um aminoácido essencial não existe em quantidade suficiente para satisfazer nossas necessidades.

Conheça alguns alimentos ricos em aminoácidos, de fonte tanto animal, como vegetal:

Alimentos Ricos em aminoácidos essenciais

Alimentos de origem animal

Alguns alimentos como as carnes magras, os ovos, o leite e seus derivados contêm os nove aminoácidos essenciais e também os 11 não essenciais que nosso organismo requer para funcionar corretamente.

Alimentos de origem animal têm proteínas de alto valor biológico e nos fornecem todos os aminoácidos essenciais de uma vez só. Alimentos como carne de porco, frango e bovina, além de peixes como salmão, mero, atum e sardinha são ricos em isoleucina, valina, leucina, fenilalanina, treonina, metionina, histidina e lisina. Frango, peru, coelho e peixes como salmão, sardinha, vieira, medo, bacalhau e atum são ricos em triptofano.

O leite e seus derivados, em especial o queijo, também contêm praticamente todos os aminoácidos. E o ovo, especialmente, a clara, contém aminoácidos como isoleucina e valina. Isso significa que deveríamos ingerir somente proteínas de origem animal? De jeito nenhum!

A ingestão de proteínas de origem animais, apesar de conterem todos os aminoácidos essenciais, implicam consumo de grandes quantidades de gorduras, o que não ocorre com as proteínas vegetais.

Alimentos de origem vegetal

Alguns alimentos de origem vegetal que não contêm os nove aminoácidos essenciais, mas mesmo assim, podemos complementá-los ao combiná-los sem ter de incorporar um alimento de origem animal.

Devemos deixar para trás o mito de que as proteínas completas só são adquiridas com alimentos de origem animal. Nem todas as proteínas de origem vegetal são incompletas.

O grão-de-bico, a soja, alguns feijões, trigo-sarraceno, quinoa, amaranto, sementes de cânhamo e pistache contêm todos os aminoácidos essenciais.

Mas, por exemplo, as lentilhas têm uma quantidade limitada do aminoácido essencial metionina, e os cereais, como o arroz integral, por exemplo, contêm pouca lisina e treonina. Portanto, se fizermos um prato que combine lentilhas (ricas em lisina, pobres em metionina) com arroz integral (rico em metionina e pobre em lisina), obteremos uma refeição com proteínas completas.

O que temos de fazer é maximizar a variedade de alimentos que comemos. Incorporar uma variedade de alimentos na dieta todos os dias, como frutas, legumes, cereais integrais, nozes, sementes, proteínas animais e vegetais e gorduras saudáveis, é essencial para o nosso corpo funcionar corretamente.

Equipe geração fit

Nós ajudamos mulheres a atingir uma vida mais plena e saudável, através de conteúdo responsável e de alta qualidade, sobre os mais diversos temas ligados às áreas de Nutrição e Atividade Física.


DEIXE SEU COMENTÁRIO