Comida de verdade: utilize com consciência alimentar ou contente-se com o sobrepeso

Receba dicas exclusivas sobre nutrição, atividade física e bem-estar. Cadastre seu melhor e-mail ao lado (é grátis)!

Comida de verdade: utilize com consciência alimentar ou contente-se com o sobrepeso

10 de julho de 2017
Ana Carolina Rocha (CRN3 - 48025)
Nutricionista

comida de verdade

Comida de verdade é definida como aquela preparada de maneira simples e acessível, feita com alimentos naturais ou minimamente processados, tem como característica principal ser altamente nutritiva.

Com a constante falta de tempo das pessoas e praticidade dos alimentos industrializados, elas acabam por diminuir a quantidade de alimentos frescos da alimentação e aumentar a quantidade de alimentos industrializados, muitas vezes mais práticos porém, nada saudáveis.

O contato com o alimento fresco é importante para que não deixemos de lado o aprendizado sobre novos sabores e combinações, além disso é interessante saber de onde vêm os alimentos e como eles são em sua versão in natura.

Hoje existe um grande movimento em prol da comida de verdade, que nos faz repensar em nossas atitudes sobre as escolhas que todos praticamos no âmbito alimentar: desde a composição nutricional das refeições, ao afeto no preparo do alimento, para ser consumido com prazer. Esse movimento incentiva o debate sobre a definição de comida de verdade e como incluí-la em nossa vida.

Comida de verdade: como escolher?

comida de verdade como escolher

As comidas de verdade são as frescas, encontradas em feiras ou em supermercados, que não necessitam de complexos processos industriais para serem preparadas como, por exemplo, hortaliças, frutas, carnes e castanhas.

Também é considerado comida de verdade alimentos industrializados em que a lista de ingredientes e forma de preparo são simples e fáceis de serem reproduzidos em casa como, por exemplo, a manteiga.

A este tipo de produto se dá o nome de produtos clean label, que são produtos industrializados formulados somente com ingredientes naturais, ou seja, isentos de aditivos ou ingredientes de origem desconhecida.

Além disso, eles geralmente possuem uma lista de ingredientes bastante conhecidos pela maioria das pessoas.

Para identificar um produto clean label, basta ficar atenta ao rótulo dos produtos e fazer o seu próprio julgamento com base nos fatores mencionados acima.

Consciência Alimentar com Comida de verdade

consciência alimentar com comida de verdade

Consciência alimentar é adquirida por um processo de reeducação alimentar. Ela é o que transforma o indivíduo no protagonista de suas escolhas alimentares.

A reeducação alimentar ensina os princípios básicos da nutrição e alimentação, a importância de introduzir a comida de verdade no seu prato e como prepara-la de uma maneira mais saudável.

A melhor forma de reeducar sua alimentação, visando perda de peso, é através do acompanhamento nutricional com um profissional especializado aliado à aquisição de conhecimento para melhor compreensão do sentido e função dos alimentos prescritos.

Uma excelente forma de adquirir esse conhecimento é através de cursos online como os que são disponibilizados pelo Cursos de Nutrição.com, a plataforma de ensino do Blog Geração Fit.

Comida de verdade: mantenha-se no peso ideal!

comida de verdade mantenha-se no peso ideal

Comida de verdade também pode ser calórica? SIM! A ideia que está por trás do termo é a de uma alimentação com maior proporção de alimentos in-natura porém, esta característica não assegura que o alimento seja de baixa caloria.

Por isso, a consciência alimentar é importante, ela nos ajuda a manter o peso ideal sem a necessidade de sofrer com dietas restritivas, pois tomamos consciência do valor dos alimentos para nossa nutrição e nos dispomos a experimentar alternativas mais saudáveis, para substituir alimentos de baixo valor nutricional.

Por isso, não importa se está abaixo ou acima do peso, ou até mesmo no peso ideal, a reeducação alimentar é importante para que possamos aprender a utilizar os alimentos a nosso favor, com consciência.

O sobrepeso, mesmo não parecendo tão alarmante quanto a obesidade, é um sinal de alerta para o desenvolvimento de doenças crônicas, como problemas cardíacos, dislipidemias (aumento da taxa de gordura no sangue) e diabetes.

O sobrepeso é uma linha tênue entre o peso considerado normal e a obesidade, onde a inclinação para algum dos lados, pode representar uma grande mudança, seja para a melhor ou para pior.

A comida de verdade pode ter um importante papel na mudança para a melhor, visto que quando prescrita corretamente e aliada a prática de atividade física contribui significativamente para que se alcance o peso ideal.

Sabor x Emagrecimento

sabor x emagrecimento

Quando uma comida está gostosa é sinal de que aquele alimento apresenta características como seu apelo visual, sua textura, temperatura, aroma e gosto (doce, salgado, azedo, amargo e umami), que juntos formam o sabor.

Quando gostamos do sabor de determinado alimento, tendemos inconscientemente a apreciá-lo, enviando sinais positivos para o cérebro.

Estes sinais estão diretamente ligados à produção de hormônios que contribuem, dentre outros fatores, para o emagrecimento.

Porém, estes sinais positivos são “anulados” por ações metabólicas prejudiciais provenientes da ingestão de alimentos teoricamente mais saborosos, mas com alto teor de açúcares e/ou gorduras.

Você sabia que também podemos utilizar do sabor dos alimentos como forma de emagrecer? Confira alguns exemplos:

Sabor umami

umami complementa os outros quatro gostos básicos do paladar humano: amargo, doce, azedo, salgado. É composto por três principais substâncias presentes em diversos alimentos: glutamato, inosinato e guanilato.

O glutamato é um aminoácido comum que se encontra em grande quantidade em alimentos como carnes, frutos do mar, tomate, ervilhas, milho e queijo parmesão. Já o inosinato e o guanilato são nucleotídeos que, além de fazerem parte do nosso corpo, estão naturalmente presentes em alimentos como carnes e cogumelos.

Alguns exemplos de fontes naturais de umami são: tomate, cogumelo, queijo, carne. Sua principal função é realçar o sabor dos alimentos, mas como função secundária ele também aumenta a salivação das pessoas.

Os estudos acerca do umami são controversos quando falamos em seus benefícios, mostrando os impactos positivos e negativos de seu acréscimo em alimentos.

Como podemos utilizar o umami de forma a colaborar com nossos hábitos alimentares saudáveis?

Ao temperar nossa comida com fontes naturais de umami, já podemos ter o efeito desejado desse aminoácido, sem nos preocupar com os efeitos negativos que normalmente vêm do acréscimo demasiado dele nos alimentos industrializados.

Por isso, utilize ele através de combinações alimentares naquelas preparações que contenham ingredientes que, mesmo sendo fonte de vitaminas e minerais, você ainda tem dificuldade em comer, como alguns tipos de vegetais.

Menthol

Substância presente na hortelã e na menta, produz uma sensação que contrasta com o sabor de lanches salgados e gordurosos, provocando a sensação conhecida de refrescância e pungência.

Esse efeito é o que inibe a vontade de querer comer alimentos desse tipo, que normalmente são pouco nutritivos e altamente calóricos.

Pungência

Este sabor é definido como a sensação causada pela irritação que pode afetar a boca ou mucosa nasal devido a substâncias ingeridas nos alimentos. Alguns exemplos de alimentos que apresentam pungência são: pimenta, gengibre, canela, cravo, cúrcuma, mostarda.

O efeito dessas substâncias não afeta somente o sabor dos alimentos, como também tem ação termogênica no corpo, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de calorias.

Mindful Eating e Comida de Verdade

mindful eating e comida de verdade

Mindful eating, nova moda no mundo da nutrição, é o ato de comer com atenção plena. O que isso significa? De acordo com Bays et al., comer com atenção plena é estar engajado desde a escolha e preparo do alimento, até o momento que o consumimos.

É prestar atenção nas cores, texturas, aromas, sabores e sons que emitimos ao comer. Isso lembra alguma coisa? Sim, mindful eating é saborear os alimentos, mas também é dar um passo além e pensar nas emoções vividas ao comer e nas sensações físicas.

Mindful eating também diz respeito a não seguir regras ditas pela sociedade, mas sim sentir e comer o que nos faz bem.

Essa é uma nova prática que tem sido utilizada por nós, nutricionistas, quando trabalhamos com reeducação alimentar, ensinando o paciente a ser o responsável por suas escolhas alimentares de forma consciente.

Quando falamos em mindful eating também falamos de comida de verdade, pois o alimento passa a trazer mais do que somente nutrientes e se envolve com nossa história e nossa cultura.

Conclusão

Comida de verdade é aquela que lembra o gosto da comida da vovó, é aquela cujo preparo começa na escolha dos ingredientes.

Fazer escolhas saudáveis e aprender a saboreá-las é fundamental para o emagrecimento sustentável. Caso sinta necessidade, não hesite em fazer uso moderado de nutrientes e temperos com sabor, como os citados no tópico Sabor x Emagrecimento.

Mesmo não gostando de cozinhar ou com pouco tempo para tal, procure lugares onde você saiba como os alimentos são preparados e fique tranquila de que está ingerindo os nutrientes necessários para um bom funcionamento de seu organismo.

Experimente adotar a comida de verdade para sua vida, mas lembre-se de utilizar a consciência alimentar para fazer escolhas saudáveis, já que a reeducação alimentar é essencial para aprendermos a fazer o balanço dos nutrientes dos alimentos e assim atingir e manter o peso ideal.

E acima de tudo, busque conhecimento e consciência alimentar para ser protagonista de suas escolhas alimentares rumo a uma vida com mais saúde e bem-estar.


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Artigos Relacionados